NOTA DA APROM/BH SOBRE O III CONGRESSO DA PROCURADORIA-GERAL DO MUNICIPIO DE BELO HORIZONTE
 

       A APROM/BH vem lamentar o desprestígio dos Procuradores na organização do III Congresso da Procuradoria-Geral do Município de Belo Horizonte, a realizar-se nos próximos dias 13 e 14 de março de 2014.
Nenhum Procurador integra o quadro de palestrantes, apesar da qualificação profissional e acadêmica de muitos associados, sobretudo na temática específica escolhida.
       Nenhum convite foi dirigido aos Procuradores, razão da existência do órgão que dá nome ao Congresso. Houve reencaminhamento de e-mail pelos Gerentes com a distribuição dofolder, como se se tratasse de evento externo, como simples divulgação, a menos de uma semana do evento.
       O alijamento dos Procuradores Municipais da organização e participação do evento vem confirmar o desapreço que a Direção da Procuradoria-Geral vem lhes dedicando. Há muito é sentida a dificuldade de um diálogo produtivo na condução da instituição, comprometendo uma gestão democrática e profícua dos destinos da Advocacia Pública Municipal em Belo Horizonte.
       A forma unilateral com que foi concebido o Congresso da Procuradoria-Geral do Município de Belo Horizonte, marcada por este sintomático desprezo à contribuição enriquecedora que poderia ser trazida pelos Procuradores Municipais, afinal os prestadores da atividade-fim da instituição, não autoriza que o evento ostente o nome que se lhe deu.

Belo Horizonte, 12 de março de 2014.
Cristiano Reis Giuliani
Diretor-Presidente da APROM/BH